O novo Código de Processo Civil inseriu o artigo 216-A, na Lei de Registros Públicos (6.015/73) e trouxe uma grande novidade quanto a usucapião: a extrajudicial, com a participação do tabelião de notas e do registrador de imóveis nesse procedimento e sem a necessidade do Poder Judiciário reconhecer a propriedade. O reconhecimento extrajudicial da usucapião será realizado somente perante o registrador de imóveis com apresentação de documentos e uma ata notarial lavrada pelo tabelião de notas. É crescente a participação do tabelião de notas em procedimentos antes restritos apenas ao Poder Judiciário, contribuindo para a desjudicialização.